P.O. BOX 116 / CP 2874 - 908
MONTIJO - PORTUGAL

Entrada
Origem - História
Percurso da CB
Certificado de Registo
Rádios homologados
Material Disponivel

Dicas sobre :

Rádios
Serviço Rádio CB
Antenas
Fontes de alimentação
Cabo coaxial
Considerações finais

Abreviaturas Cebeístas
Códigos "Q" "RST" e "N.º"
Códigos "10"

Guia Prático :

Características Emissores-Receptores CB
Potência de emissão
Tipos de modulação
Instrumentos de regulação
Os acessórios
Como instalar um rádio CB em móvel

Canais e Frequências
Canais gerais
Biografia do Operador
Linguagem da CB - Termos

Esquemas :

Acoplador de antena
Micro com ganho
Roger beep
Antena > Quadra cúbica
Antena > Passo em frente

Canais Específicos
Legislação DL 47/2000
Legislação GERAL

Normas sobre DX :

Nota breve
Cartilha DX´ista
Software para saber propagação
Alfabeto fonético
Código Morse
Cuidados indispensáveis
QSL´s

Avarias mais comuns
O Tráfego CB - Cartilha
A História de uma QSL
Oração do Cebeísta
Publicações úteis - I
Publicações úteis - II

Contacto

Click for Montijo, Portugal Forecast
CIDADE - MONTIJO
 
ORIGEM - HISTÓRIA
  • A Banda do Cidadão ou a Citizen Band ou mesmo a CB , nasceu nos Estados Unidos após a segunda guerra mundial.
    Foi com efeito nessa época que os radioamadores americanos manifestaram o seu interesse pela criação de um tipo de comunicações por rádio entre particulares na banda de frequência dos 27 MHz.

  • Porquê os 27 MHz ?
    Porque, esta frequência encontrava-se destinada desde já há algum tempo às aplicações industriais, científicas e médicas ( I.C.M. ), sendo portanto pouco propícia a uma comunicação por rádio, dado que era perturbada continuamente por aparelhos de grande potência com ressonância em 27 MHz.

  • No entanto, estes primeiros adeptos de uma forma de rádio praticada em tempos livres conseguiram convencer os responsáveis das telecomunicações americanas que, a partir de 1953, autorizaram 23 canais em 27 MHz e introduziram pouco tempo depois uma licença que deu origem a uma" frequência dos cidadãos " incluída na banda dos 11 metros.

  • O fenómeno tomou pouco a pouco uma certa amplitude nesse lado do Atlântico ( a partir de 1959 observaram-se 6.000 pedidos de licença por mês ) e assim foi exportado lentamente para a Europa, particularmente para os países nórdicos, onde a Suécia foi o primeiro a reconhecê-lo jurídicamente.

  • No entanto, só em 1975/6 a Citizen Band americana conheceu um verdadeiro " boom ": enquanto em 1974 tinham sido vendidos cerca de 1.7000.000 aparelhos, as vendas anuais atingiram na altura, 4.5000.000 em 1975, 11.3000.000 em 1976, ano record, caindo depois para 7.200.000 em 1977 e 3.500.000 em 1978.
    Hoje, o "parque" CB americano eleva-se a mais de 30 milhões de aparelhos nas mais diversificadas aplicações !

  • Na origem desta forte expansão encontra-se a limitação de velocidade nas auto-estradas americanas, devido à crise da energia. Com efeito, esta limitação , de velocidade, teve como primeira consequência uma perda de salário dos motoristas cuja remuneração se encontrava ligada à quilometragem percorrida.

  • Para estes assalariados, o recurso a aparelhos de CB surgiu então como a melhor solução contra os controlos policiais na estrada, assim como um modo de romper o isolamento das extensas estradas e aumentar a segurança.
    Aliás, já foram produzidos diversos filmes tendo como tema a comunicação CB entre camionistas.
    Esta utilização sistemática da Citizen Band deu assim um novo impulso ao seu desenvolvimento do outro lado do Atlântico, pois tornou-se cada vez maior o número de automobilistas interessados no seu emprego.

  • No entanto, como já indiquei, o aumento do "mercado" da CB apenas durou alguns meses.
    A consequência desta saturação económica foi a chegada massiva à Europa do excedente de emissores-receptores, que vieram alimentar uma procura cada vez maior. Por sua vez, o velho continente conhecia agora a loucura da Banda do Cidadão ...

  • Chegada à maturidade nos Estados Unidos, cada vez mais popular na Europa e nos outros países industriais ( a Banda do Cidadão é ainda, com efeito um privilégio dos países ricos, se bem que agora com alguma abertura aos países chamados de Leste ), a rádio dos tempos livres impõe-se já como um facto social incontestável.

  • Respondendo perfeitamente a necessidades de ordem prática mas também a desejos mais profundos, e dinamizada por incessantes inovações tecnológicas, ninguém duvida de que a CB tem ainda um grande futuro à frente apesar da sua legislação algo restritiva.

  • Em Portugal, a Banda do Cidadão (CB) foi legalizada em 11 de Julho de 1978, com a publicação da sua regulamentação no Diário da República , autorizando-se a utilização de 40 canais - dos 26,965 aos 27,405 MHz – com uma PAR (potência aparente radiada) de 4 Watts em AM (amplitude modulada) e 12 Watts em SSB (banda lateral).

  • Por Tudo isto ... acredito que alguma coisa ainda vai mudar .

 

SERVIÇO RÁDIO PESSOAL - CB
AUTORIZAÇÃO PROVISÓRIA DE UTILIZAÇÃO
*

* Modelo que era utilizado para requerer a Licença de Utilização de Rádio CB . Depois de preenchido (em duplicado) era entregue e paga a taxa, aos balcões das Estações de Correios .